Menu

Nutrição Materno Infantil

Alimentação direcionada para: gestantes, lactantes, introdução alimentar de bebês e alimentação na infância

gestante

Desde o momento que descobrimos que estamos abrigando um “serzinho em nosso ventre, já nos tornamos MÃE, pois já nos preocupamos em cuidar deles assegurando que cresçam saudáveis e ganhem peso adequado.

E às vezes nem sabemos que eles já começam a sentir os sabores até dentro de nossa barriga… já estamos programando suas preferências alimentares desde nosso ventre. Que responsabilidade!!!

aleitamento

 

 

A alimentação da lactante é cercada por mitos e rituais para garantir o sucesso do aleitamento materno. Mas os dois pilares para a garantia da produção de leite materno são: boa hidratação materna e quantidades suficientes de quilocalorias. Necessidades de alguns nutrientes como cálcio, proteínas, ferro e vitamina A devem ter especial atenção.

 

 

introducao alimentar

A introdução alimentar é um ponto crucial na vida do bebê, estabelecendo sua relação com o alimento, o ato de se alimentar, bem como aceitabilidade posterior da diversificação alimentar. Existe mais de um método de introdução alimentar: introdução alimentar tradicional, introdução alimentar participativa e introdução alimentar denominada “Baby led weaning (BLW)” ou “desmame guiado pelo bebê”. A escolha de qual método utilizar depende de vários fatores como o desenvolvimento neurológico e motor, preparo da família e tolerância da mesma aos chamados “gag reflex” (reflexo natural de protusão da língua do bebê para o retorno do alimento com o objetivo de expelir ou realizar nova mastigação).

 

A partir dos 2 anos de idade a criança começa a descobrir a independência ecrianca-comendo-um-prato-saudavel-foto-oksana-kuzminashutterstockcom-000000000001673B com isso a possibilidade de aceitar ou não o que lhe é oferecido. A alimentação nesta idade é o reflexo de todo o processo realizado na introdução alimentar. Porém naturalmente nesta fase que vai dos 2 a 5 anos é comum a neofobia, ou seja, medo do novo. Portanto a criança resiste um pouco mais a aceitar alimentos novos. A introdução alimentar participativa e o BLW são métodos que auxiliam nesta questão, reduzindo a neofobia das crianças neste período. A Sociedade Brasileira de Pediatria (2017) recomenda a alimentação participativa (Guia Prático de Atualização – A Alimentação Complementar e o Método BLW), pois auxilia no suprimento das necessidades nutricionais além da manipulação dos alimentos, importante para a construção de bons hábitos alimentares.